sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Entrevista com Fergus Enrique - Artesão Pagão

Por Douglas Phoenix

O trabalho artesanal dentro do paganismo sempre foi uma das atividades artísticas mais belas dentro do paganismo, com várias pessoas desenvolvendo esses trabalhos. Anderson Enrique, do Rio de janeiro, mais conhecido pelo nome pagão escolhido por ele mesmo, Fergus Enrique, vem desenvolvendo trabalhos artesanais a 3 anos. Começando apenas como algo para si próprio, seus trabalhos foram se tornando populares entre os amigos e então começou a produção real de seu artesanato. Aos 18 anos, após anos de confusão e contestação religiosa ele ingressa no estudo da magia, somente dez anos depois ele se encontrou na linha neodruida, mesmo período de criação de seu primeiro Book of Shadows (Livro das Sombras) personalizado. Conheça agora um pouco do trabalho desse jovem artesão.

Legenda: JOB-PE = Jornal O Bruxo Pernambuco

FE = Fergus Enrique

JOB-PE: Como você começou a elaboração de seus trabalhos artesanais?

FE: Há três anos, sentei com minha família para explicar sobre o paganismo, fato que eu sofria grande preconceito por eles, e minha mãe e minha irmã aceitaram, então pude enfim ter um altar em casa. Como adoro instrumentos comecei a fazer para mim mesmo, comecei com um livro das sombras, vassoura, cajado, varinha e vários outros, todos buscando montar da melhor forma possível o meu altar. Alguns amigos mais próximos, ao me visitar, se admiravam com meus instrumentos e sempre pediam que eu fizesse para eles também. Em fevereiro de 2009, comecei a vender meus primeiros livros entre os amigos mesmo, eles faziam questão de pagar por meu trabalho. Então comecei a produzir diversas coisas.


JOB-PE: Como você aprendeu a fazer esse tipo de trabalho?

FE: Na verdade, foi algo que fiz, sem pensar muito, sempre gostei de artes plásticas. Sou estudante de desenho industrial e sempre tive aptidão com artesanatos, trabalhos manuais.

Imaginei que colar as folhas forçando-as com algo que as mantivessem unidas funcionaria, e funcionou, o resto foi inspiração, inclusive a capa de madeira. Comecei com papelão, depois percebi que me impossibilitava de colar alguns materiais na capa, dai fiz em madeira e funcionou.

Hoje em dia tenho inclusive todo um projeto de uma serie de livros das sombras, que chamarei “Organics” ou “Books of Nature”, onde somente utilizarei no ornamento das capas, material que possa ser conseguido na natureza, sem arrancar de nenhuma árvore, claro, mas sim que esteja a disposição, dado pela Mãe Terra. E por ser capa de madeira, posso colar até pedra na capa.

(risos)


JOB-PE: Fale mais desse novo projeto.

FE: Este projeto consiste em uma experiência, primeiramente minha, de ir mais a fundo no contato com a natureza, onde esta toda a minha Magia e lá adquirir folhas, pétalas, e trabalhar o processo de desidratação delas, depois utilizando nas capas dos livros, fazendo os pentagramas de cipó, os detalhes com cascas de madeira, com folhas, pétalas, tudo desidratado e envernizado, no processo mais natural possível. Obviamente continuarei os outros livros, mas este projeto é algo como dar um tema a minha produção.


JOB-PE: Fora os livros você produz outros instrumentos para venda? Caso sim, possui algum projeto para os outros objetos?

FE: Sim, estou com um projeto paralelo aos livros, de começar a fazer, deuses e imagens em barro, aproveitando o contato que vou fazer com a natureza. Serão estatuas da Vênus de Willendorf, de cernunnos, cerridwen, todas bem rústicas e feitas em barro, além de uma série de duendes, elementais que estou pensando em fazer para acompanhar os livros Organics. Na compra de um livro a pessoa leva um elemental, um duende guardião do livro. Já estou começando a coleta dos materiais necessários, as expedições à mata.


JOB-PE: Seu trabalho é feito através de técnicas ou pura inspiração?

FE: Um pouco dos dois. Faço uma pesquisa das melhores formas como posso fazer. Vejo a melhor forma de fazer o que me pedem, se querem pedras na capa, procuro colas ideais para pedras, se querem folhas, busco a cola ideal para folhas e madeira. As paginas são coladas, com um processo comum de encadernação com lombada quadrada. Utilizo papel reciclado e colo a capa com cola especial para madeira. Ou seja, o acabamento que exige os materiais, um processo específico para cada um.


JOB-PE: A venda do seu material fica em uma média de quanto? E como é feito o pagamento?

FE: A média dos meus livros, com 400 folhas fica em uma faixa de 70 reais. Quando a pessoa pede detalhes mais caros, vou com ele comprar as peças ou pergunto exatamente como ele quer. Não gosto de cobrar tão caro quanto vejo por ai, porque minha intenção é que os livros sejam mais rústicos, e não aquela coisa comercial, semelhante aos de lojas. Gosto de algo mais natural, com material natural. Colo objetos encontrados em escavações, como objetos antigos. (Risos)

A venda de meu material é para todo o Brasil. Para locais distantes o encaminhamento é via sedex, com o depósito em conta bancária, então envio os comprovantes de envio e depósito por e-mail, da maneira mais transparente possível.


JOB-PE: Alguma dica para quem também se interessa em iniciar no trabalho manual?

FE: É algo que digo às pessoas que vem me pedir para fazer meus trabalhos e pedem algo igual a algum outro material, “não produzo copias de trabalhos”. Os livros que estão produzo, são únicos, pois assim prometo quando faço um trabalho. Para quem está começando, o ideal é que quando for fazer um instrumento, o faça como uma continuidade de si mesmos. Pois é isso que os instrumentos são. Continuações de nós mesmos. Então coloque neles seu amor, sua paixão pelos deuses, sua magia da forma que você a Vê. De nada adianta copiar, fazer algo perfeito, se o instrumento não tiver a sua essência. Sempre procuro trabalhar com meus artesanatos desta forma. Explico a quem me pede um trabalho: “Na verdade, quem vai fazer é você, apenas vou emprestar minhas mãos”.



JOB-PE: Como as pessoas podem ver seu trabalho e entrar em contato com você?

FE: Estou trabalhando na construção de um site, enquanto isso a visualização de meus trabalhos só está sendo feita através do meu perfil no orkut. É só pesquisarem Fergus Enrique Artesanatos. Para contato direto é só falar comigo através:

E-mail: fergusenrique@hotmail.com

Telefone: (21) 7569-1146


JOB-PE: Fergus, muito obrigado por ter concedido essa entrevista, toda a equipe do Jornal O Bruxo Pernambuco agradece.

FE: Que nada Douglas. Eu que fico muito feliz. O artesanato é uma paixão, quando faço é realmente como fazer magia para mim. (Risos)

Eu fico muito contente por esta ajuda e incentivo!

Muito bacana da sua parte e da parte do Jornal O Bruxo Pernambuco.


“Danço em espiral e meu canto ecoa, vou tecendo a teia com palavras fortes. Já sinto o doce cheiro da paz! Meu sorriso anuncia a felicidade e meus dedos brincam no ar, traçando símbolos antigos de poder e vida. Nada restará das dores e mazelas pois estas serão lançadas ao vazio!”



2 comentários:

Rafael Nolêto disse...

Adorei a entrevista, muito boa!

Douglas Phoenix disse...

Obrigada mais uma vez Rafael.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Hostgator Discount Code
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...